Sono e distúrbio cognitivo


Dormir pouco ou demais, respiração anormal durante o sono e sonolência diurna excessiva foram significativamente associados ao desenvolvimento de déficits cognitivos.

Com mais de 15 mil mulheres, seguidas por muitos anos, o Estudo da Saúde das Enfermeiras tem se revelado uma plataforma ideal para o estudo de fatores de risco. Em relação às avaliações cognitivas, uma bateria de seis testes distintos foi realizada pela primeira vez quando as participantes tinham pelo menos 70 anos de idade, e foram repetidas a cada dois anos durante um período de seis anos, correlacionando-se à duração média diária de sono. Em comparação com aquelas que relataram uma média de sete hortas de sono diáriamente, a média de pontuação nas quatro avaliações cognitivas foi significativamente menor para as mulheres que relataram média diária de sono de cinco horas ou menos, e também para os relatórios de nove horas ou mais.

A cada dia cresce o entendimento sobre o real papel do sono. Distúrbios da duração, qualidade, arquitetura e respiração do sono têm sido correlacionados ao maior risco cardiovascular, e agora também ao maior envelhecimento cerebral e consequentemente declínio cognitivo.


Copyright © 2012 Todos os direitos reservados para Incorlages
Green TI